Chegou o inverno, e agora? O que muda treinar no frio?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Com a chegada do meio do ano, a nossa vontade é assitir uma boa série comendo pipoca e ficar embaixo das cobertas no sofá. Mas quem tem uma constância boa de treino sabe o quanto é importante se manter ativo e não quebrar a rotina, porque voltar depois de ficar parado por um tempo é bem difícil.

Essa “preguiça” que sentimos em treinar no frio, se deve ao fato dos nossos músculos se encontrarem mais contraídos, dificultando a nossa movimentação. Mas há uma notícia boa: esses treinos podem vir a causar um aumento no gasto calórico, uma vez que precisamos de mais energia para manter a tempetarura corporal.

Outra vantagem é melhorar o sistema imune, pois a exposisão frequente à baixas temperaturas, faz com que o corpo tenha que se adaptar ao frio, mantendo o sistema imune ativo.

Alguns órgãos também são beneficiados. No caso do coração, ele precisa trabalhar mais para bombear sangue para todo o corpo, para manter a temperatura corporal, dessa forma existe um aumento na circulação sanguuínea, o que ajuda a reduzir a pressão arterial e limpar as artérias, evitando doenças cardiovasculares. Já o pulmão começa a trabalhar para usar o oxigênio de maneira mais eficiente devido à dificuldade de respirar nessa época do ano por causa da diferença de temperatura. De uma maneira geral, como o frio faz com que se aumente o esforço do nosso corpo, faz com que aumente também a nossa resistência.

Além disso, baixas temperaturas ajudam a fechar os poros da pele, evitando o surgimento de cravos e a oleosidade excessiva, além de melhorar a saúde dos folículos capilares, deixando-os mais presos ao couro cabeludo, impedindo a queda excessive dos cabelos. Só não vale, nesse caso, tomar banhos muito quentes, senão esse benefício desaparece.

Então é isso, ao invés do cobertor pegue seu agasalho mais quentinho e saia para fazer exercícios.

Bons treinos

Você também pode gostar de: