A atividade física e a saúde mental

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

A diferença que a atividade física faz para o corpo é já bem estudada e documentada, mas hoje devemos também analisar o bem mental que ela nos traz.

Um desses benefícios é a diminuição do estresse e o controle da ansiedade. A prática de atividades físicas gera um aumento da produção pelo nosso corpo de alguns neurotransmissores como a noradrenalina, a acetilcolina, a serotonina e a dopamina, responsáveis pela sensação de prazer e pelo auto-controle. Além disso temos a produção em grande quantidade de alguns outros neurotransmissores, como a endorfina, durante a prática de atividade física, que pode trazer um alívio à sensação de dores e um bem-estar muito grande.

Além disso, o próprio ato de canalizarmos ansiedades e frustrações para a atividade física ao invés de ficarmos remoendo essas coisas em nossas cabeças faz com que a gente alivie ainda mais essas sensações e transforme isso em algo bom.

Outra coisa é a sensação de dever cumprido. Nosso corpo entende a atividade como uma meta, e quando você a cumpre o seu cérebro libera neurotransmissores associados ao prazer.

A melhora na auto-estima é outro benefício. Para os jovens, se olhar no espelho e gostar do que vê é algo muito importante. Quando chegamos numa idade mais avançada o que é importante é a autonomia dos movimentos. Não ser dependente de outras pessoas para executar as atividades do dia-a-dia é animador.

Independentemente de já termos uma perda cognitiva instalada ou se estamos apenas num processo de envelhecimento natural, a atividade física é importante para manter as funções cognitivas. Quem nunca se viu tendo uma ideia no meio de uma prática de atividade física? Isso ocorre justamente porque durante essa prática estamos estimulando o nosso cérebro, produzindo neurotransmissores, aumentando o aporte sanguíneo, com glicose, oxigênio e nutrients para o cérebro, fazendo com que os neorônios funcionem de uma maneira mais efetiva.

A principal dificuldade das pessoas é encaixar isso na rotina. O cérebro tende a nos sabotar, então quanto mais prazerosa e lúdica for a atividade melhor. Algumas pessoas gostam de academia, outras gostam de competição e outras de artes, como a dança. O importante é se conhecer e fazer o que se encaixa no seu perfil.

Bons treinos

Você também pode gostar de: