Uma Paella deliciosa

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

A Paella é um dos mais tradicionais pratos da Espanha, mas você já pensou
porque tem esse nome?

Há muitos e muitos anos os pescadores após sua jornada de pesca iam ao
mercado para vender seus produtos.

Mas essa venda era feita “al por mayor” em grandes quantidades e para os
produtos de melhor qualidade.

Então sempre sobravam uns peixinhos não tão atraentes e uns mariscos .

Reza a lenda que um pescador, um homem muito apaixonado por sua mulher um
dia resolveu preparar

com o que sobrara da venda de sua pesca e mais um coelhinho, ou um
franguinho e mais umas verdurinhas

dos campos no caminho de volta para casa um prato especial PARA ELLA ( ela
em espanhol).

Daí vem o nome Paella e também a tradição de que, após aceso o fogo para a
preparação,

somente o homem pode cuidar do preparo. Afinal é um prato em homenagem a
ela e é natural que ele o prepare.

Paella é também o nome da panela de ferro redonda e rasa onde é preparada a
Paella,

mas o nome paellera também é muito usado.

Ahhhhh Nem pense em chamar a Paella de Paeja.

A não ser que você seja argentino pois lá a pronuncia do castelhano ou
espanhol

(2 nomes para o mesmo idioma) é um pouco diferente do que na Espanha.

Na Espanha se come muito arroz mas nunca puro como nós aqui no Brasil.

Há até um chiste que diz: Arroz Blanco ?? Eso és cosa de chinos………

Mas esse gosto pelo arroz, sempre com algo agregado, deu origem a uma classe
de restaurantes chamados Arroceria.

Lá podemos provar Arroz con Caracoles, Arroz con Conejo, Arroz con Pollo,
Arroz con Verduras

e mais uma infinidade de sabores onde o arroz é sempre a estrela mas sempre
apresentado como prato único.

Para o preparo da Paella há dois tipos de arroz. Um é o senia mas o mais
utilizado é o bomba por seu formato

e por sua enorme capacidade de absorção de sabores. Aqui no Brasil é melhor
utilizar o arroz parboilizado

pois seus grãos se mantem “al dente” após o preparo.

Antigamente usávamos em casa o arroz amarelão que era vendido a granel nas
feiras livres e nos empórios.

Na Catalunha usa-se o “fideuá” (nome do macarrão cabelo de anjo em catalão)
substituindo o arroz

e agrega-se tinta de lulas tornando assim a Paella Negra.

Se perguntar a um espanhol qual a melhor receita, a original de Paella, com
toda certeza a resposta será

que é a da sua família, ou da região onde nasceu. Assim, cada um tem a sua
particular.

Mas, “corazonadas” à parte existem basicamente dois tipos de Paella: a
Valenciana e a Asturiana.

A Valenciana, por ter mais Frutos do Mar é também conhecida como Paella
Marinera.

Muito apreciada na cidade de Valência é preparada entre os dias 14 a 19 de
março,

para as Fiestas de San José atraindo milhares de turistas.

Há uma diferença entre os dois preparos dessas paellas,

em uma se coloca o arroz na paella sempre em cruz e depois não mais se mexe.

Na outra versão o arroz é colocado em nuvem e depois ainda pode-se dar uma
mexida nos ingredientes.

Bem agora que já sabemos “mucho sobre paellas” vamos à receita.

É claro que a minha receita: a melhor……..rsss

Ingredientes para servir 10 a 12 pessoas

Azeite de oliva virgem

1Kg de sobrecoxas de frango temperadas com alho, sal e pimenta do reino
branca

1Kg de lulas tamanho médio limpas e em rodelas, temperadas com sal e suco de
limão

1Kg de camarões médios limpos mas deixando o rabinho.

Com as cabeças e cascas preparar um caldo de peixe refogando uma cebola,

uns talos de aipo, 2 folhas de louro, sal e 4 litros de água.

Depois de coado acrescentar os fios de açafrão.

1Kg de mexilhões

½ Kg de vôngoli

Se quiser utilizar estes mariscos com a casca deixe-os de molho por 4 horas
em água gelada com sal.

Os que abrirem estão bons para uso pois todas as impurezas ficaram na água.

Os que não abrirem estão mortos e devem ser desprezados.

Se quiser utilizar os mariscos sem a casca, ou só com a metade, coloque os
mariscos,

bem lavados em água corrente, em uma panela SEM água e deixe cozinhar por
uns 3 a 4 minutos.

Aí novamente, os que abrirem podem ser utilizados e os que não abrirem, não.

Pode retirar uma das cascas ou ambas. Na panela ficou um caldinho que coado
pode ser acrescido ao caldo de peixe.

¼ Kg chouriço espanhol (que só contem carne de porco magra e páprica
picante) em rodelas

1/2Kg de ervilhas frescas ou congeladas, mas nunca em lata

1/2Kg de vagem macarrão em pedacinhos

1 pimentão vermelho

1 pimentão amarelo (afinal são as cores da bandeira!)

2 cebolas cortadas em quadradinhos

10 dentes de alho cortados bem miudinhos, não amassados

3 a 4 folhas de louro

Sal pouco, pois o caldo de peixe já é salgado

Fios de açafrão

½ Kg de arroz parboilizado ou amarelão

Preparo

Acender o fogo, de preferencia com lenha. Pode fazer no fogão à gás mas o
sabor será diferente.

Esfregar alho no fundo da paellera e colocar azeite até cobrir o fundo.

Os ingredientes entram na paellera em temperatura ambiente, inclusive o
caldo.

Colocar o frango, refogar e deixar nas bordas para deixar o centro livre
para o próximo ingrediente.

Colocar as lulas, refogar só um pouquinho, senão elas ficam rígidas

Acrescentar as ervilhas e a vagem.

Agora a cebola e depois o alho. Aí entram as folhas de louro.

Agora vem as rodelas de chouriço.

Os pimentões, cortados em tiras no sentido do comprimento entram a seguir.

E chega a vez da estrela deste prato: o arroz.

Refogar um pouco, só para misturar todos os ingredientes que já estão
refogados.

Acrescentar o caldo de peixe.

Provar para sentir o sal e acertar.

Assim que começar a borbulhar ir colocando os camarões, os mexilhões e os
vôngoli.

A partir daqui contar 15 a 20 minutos para o cozimento.

Tirar do fogo e cobrir com papel alumínio e aguardar 15 minutos para o
término da cocção.

Pronto.

“Que aproveche !!!”

Você também pode gostar de: