A Tristeza

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

E a tristeza vem que vem
Se acantoa em qualquer canto,
Sem canto que encante,
Apenas garante sua triste presença
Com mira em riste.
Quando se espalha,
É como se fosse palha seca,
Voa tão leve que vai longe.
Até onde, não sei.
Deixa um rastro marcado,
Pelo arrasto forte do vento,
Dança, avança girando e
Rodopiando, sem dó,
Toca na alma, onde mais dói,
Como um caldo quente
Que entorna na pele.
Pouco afoga as lágrimas, que
Escorrerão deixando uma marca,
Que em algum momento seca.
Então, cuide-se dos feixes para que
Não surja fagulha que
O vento ventando contra, pode
Trazer lá de longe a tristeza,
Que queremos bem longe.

Você também pode gostar de: