Um pequeno passo para um homem, mas um grande salto para o Brasil: A história de João do Pulo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

João Carlos de Oliveira, brasileiro, nascido na cidade de Pindamonhangaba, no interior de São Paulo ficou conhecido como Jõao do Pulo pelas suas conquistas no atletismo, principalmente no salto triplo. Seu recorde mundial de 17,89 m, foi batido quase dez anos depois, pelo norte-americano Willie Banks, com 17,90 m, em Indianápolis, em 1985. Seu recorde brasileiro e sul-americano só foi batido mais de vinte e um anos depois, por Jadel Gregório, com 17,90 m, em Belém, em 2007.

Em 1975, nos Jogos Pan-Americanos da Cidade do México, além da marca de 17,89 m que lhe rendeu a medalha de ouro no salto triplo, quebrando o recorde mundial desta modalidade em 45 cm, que pertencia ao soviético Viktor Saneyev, o cabo do Exército Brasileiro conquistou também a medalha de ouro no salto em distância com a marca de 8,19 m.

Era o favorito à medalha de ouro no salto triplo nas Olimpíada de Montreal em 1976 mas, convalescendo de uma cirurgia na barriga, saltou apenas 16,90 m e foi superado por Saneyev (17,29 m) e pelo norte-americano James Butts (17,18 m), ficando com a medalha de bronze. Além disso, foi quarto colocado no salto em distância.

Nos Jogos Pan-americanos de San Juan, em 1979, tornou-se bicampeão tanto do salto triplo como do salto em distância, acumulando um tetracampeonato panamericano em duas provas. Neste último, derrotou o futuro tetracampeão olímpico da prova, Carl Lewis.

Os Jogos Olímpicos de Moscou em 1980 foi coberto de controvérsias com relação ao favorecimento aos atletas da casa pelos juízes soviéticos. João teve dois saltos anulados, um deles com mais de 18 m. Na época, o técnico Harry Seinberg, chegou a confessar, em conversas informais, que as marcas de João haviam sido alteradas para favorecer os atletas da casa, mas nunca confirmou sua afirmação à IAAF nem ao COI. Em 2000 o jornal australiano The Sydney Morning Herald, o maior da Austrália, fez uma grande reportagem demonstrando que os saltos anulados do brasileiro faziam parte de uma operação soviética para dar o tetracampeonato olímpico a Viktor Saneyev, que no final das contas ficou com a prata, perdendo para o seu conterrâneo Jaak Uudmae

Na era pré-Campeonato Mundial de Atletismo João do Pulo foi tricampeão mundial do salto triplo em 1977 em Düsseldorf, 1979, em Montreal, e 1981 em Roma, com 17,37 m, vencendo Jack Uudmae, um ano depois dos Jogos Olímpicos, e o futuro recordista mundial Willie Banks, dos Estados Unidos.

Em 1981, sofreu um grave acidente automobilístico na Via Anhanguera, no sentido Campinas-São Paulo. Após quase um ano de internação na UTI, sua perna direita teve que ser amputada, o que significou no encerramento de sua carreira de atleta.

Já diria a música de João Bosco e Aldir Blanc feita em sua homenagem: “João como um João qualquer, João de sangue Afro-Tupi, De príncipe a escravo a preto-fôrro, De operário a novamente herói do morro”.

Você também pode gostar de: