Ano novo, dieta nova!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Que comece a temporada de resoluções para o ano que se inicia. Quem não escreveu no bloco de notas “emagrecer” ou “melhorar minha alimentação” que levante a mão! O que nos consola é que nunca é tarde para começar tudo de novo.
Para ajuda a atingir suas metas e entender a sopa de letrinhas que a alimentação é, a cada semana vou escrever sobre os principais alimentos que consumimos e seus benefícios para a saúde. Quando entendemos o porquê de comer cada alimento fica mais fácil mudar o cardápio e a lista de compras. Está aberta a série de posts Bê-a-bá dos alimentos.
Aproveitando o clima de festas de fim de ano os alimentos dessa semana são aqueles que fazem parte das simpatias para começar o ano com pé direito: a lentilha, a uva e a romã.
Quem come lentilha na passagem do ano acredita que ela traz sorte, dinheiro e prosperidade. Crendices à parte, a lentilha é muito nutritiva e é garantido que essa leguminosa é fonte de vitaminas do complexo B como B1 (tiamina), B5 (ácido pantotênico ou pantenol), B6 (piridoxina), B9 (ácido fólico ou folato), rica em minerais como o ferro, magnésio, zinco, manganês, potássio e excelente fonte de fibras. Vale a pena comer lentilha ao longo de todo o ano, pois ela auxilia a regular o metabolismo do organismo, é importante para a função cerebral, ajuda a prevenir doenças cardiovasculares, participa do transporte de oxigênio e produção de energia, protege contra os danos às células, contribui para a saúde dos osso, auxilia o sistema imunológico, é importante para a função muscular, reduz o risco de formação de cálculos renais e mantém a saúde do intestino.
A lentilha além de seu alto valor alimentício é fácil de cozinhar e seu paladar se assemelha ao do feijão, sendo que é de maior digestibilidade que o feijão. Também é usada em forma farinha na culinária árabe.
Pitada funcional: faça o remolho da lentilha e cozinhe com folhas de louro para facilitar a digestão.
Sugestões para incluir no cardápio: lentilha com arroz, salada de lentilha com abobrinha e tomate, sopa de lentilha. A lentilha germinada é ainda mais nutritiva e fica uma delícia em saladas.
A uva é rica em vitamina K e vitamina C, em minerais como o cobre, potássio, iodo, cálcio, fósforo e magnésio e rica em fibras. É famosa por ser fonte de resveratrol (polifenol) e flavonóides. Todas as partes da uva podem ser aproveitadas, inclusive a casca e as sementes. É uma fruta rica em carboidratos e pode ser ótima fonte de energia, ajuda no funcionamento intestinal e é eficiente contra a hipertensão.
Reza a lenda que comer 12 uvas no réveillon e guardar suas sementes ajuda a realizar os desejos de ano novo. A verdade é que o coração é o maior beneficiado com o consumo de uvas, pois reduz o risco de enfarto, pois os componentes antioxidantes e antiinflamatórios presentes na fruta dificultam a formação de coágulos.
Pitada funcional: o suco de uva integral natural é ótima opção para substituir o vinho tinto, pois contém quantidade de compostos bioativos (resveratrol por exemplo) semelhantes ou superior. A farinha de semente de uva ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim. A casca da uva é rica em fibras e compostos bioativos.
Sugestões para incluir no cardápio: além de in natura, compotas, geléias, sorvetes, sagu com suco de uva integral, peixe assado regado ao molho de uva, farinha de uva polvilhada no iogurte, farinha de semente de uva polvilhada nas saladas. A fruta in natura fica muito gostosa no overnight oats e é uma ótima opção para saborizar a água mineral.
A simpatia com as sementes da romã é para atrair dinheiro, por isso a crença pede para guardar as sementes de 7 romãs na carteira. No quesito saúde a romã é muito utilizada como planta medicinal. Seu composto bioativo é o ácido elágico (composto fenólico ou polifenol) que atua como poderoso antioxidante e ajuda na prevenção da doença de Alzheimer, regular a pressão arterial, ajuda a reduzir o cansaço e ajuda na síntese de aminoácidos. A ação antioxidante regula a resistência à insulina e a diabetes. O consumo diário do suco de romã também é benéfico para quem tem doença inflamatória intestinal (DII). A romã contém vitamina B9 e vitamina A e vitamina C, e é rica em potássio, fósforo, magnésio e cálcio.
Pitada funcional: o suco de romã natural contém mais antioxidantes que o vinho e o chá verde.
Sugestões para incluir no cardápio: além de in natura, sucos, batida com água de coco e chás.

Você também pode gostar de: