Um conto de Natal futebolístico: A história da trégua informal entre soldados alemães e ingleses na Primeira Guerra Mundial.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

A guerra teve seu início em 28 de julho de 1914 e seu fim apenas em 11 de novembro de 1918, somando nove milhões de mortos. De um lado, os aliados, com base na Tríplice Entente formada entre Reino Unido, França e Rússia e do outro a Tríplice Aliança, formada pela Alemanha, Áustria-Hungria e Itália. Uma guerra de trincheira, onde soldados de lados opostos ficavam apenas à alguns metros de distância.

Foi no Natal de 1914, a guerra tinha apenas começado. Embora não houvesse nenhuma trégua oficial, soldados britânicos e alemães estavam envolvidos em cessar-fogos da frente ocidental. A trégua começou na véspera de Natal, 24 de dezembro, quando as tropas alemãs decoraram o entorno de suas trincheiras na região de Ypres, Bélgica, havendo várias tréguas não oficiais esparsas que perduraram, por até seis dias. . O historiador americano Stanley Weintraub calculou que, aproximadamente, cem mil soldados de ambos os lados, aderiram em algum momento às tréguas de natal.

Neste espírito de “viva e deixe viver”, algumas partidas de futebol tomaram conta dos fronts em espaços entre as trincheiras alemãs e britânicas, conhecidos como ´´terras de ninguém´´.
O tenente Charles Brockbank, membro do 6º Batalhão Cheshire Regiment escreveu um relatório detalhando a partida de futebol do dia em seu diário: “O incidente mais extraordinário … os alemães, escalando as trincheiras, começaram a gritar para nós ‘sairmos’ e ‘bebermos’. Um deles saiu na frente sem rifle ou armas, enquanto um dos nossos também saiu. Uma enorme multidão se formou. Tínhamos encontrado uma pequena bola de borracha, então, é claro, uma partida de futebol aconteceu e trocamos várias coisas. ”

Da perspectiva alemã, o tenente Johannes Niemann do 133º regimento saxão contou sobre uma partida de futebol entre os alemães e os Highlanders de Argyll e Sutherlands “Um soldado escocês apareceu com uma bola de futebol que parecia ter vindo do nada e poucos minutos depois, uma verdadeira partida de futebol começou. Os escoceses marcaram a boca do gol com seus estranhos gorros e nós fizemos o mesmo com os nossos. Não foi nada fácil jogar no terreno congelado, mas continuamos cumprindo rigorosamente as regras, apesar de durar apenas uma hora e não termos árbitro´´.

Existem várias versões da história dessa trégua, umas mais romantizadas que outras. Mais o que podemos tirar disso é que, mesmo nas horas mais escuras, o esporte é uma forma de unir as pessoas, é um fio de esperança de que tudo é possível (quem já não acreditou numa virada do seu time aos 45 minutos do segundo tempo?) e uma distração dos problemas da vida, principalmente em momentos de incerteza, como o que estamos vivendo. No final das contas, não importa se a história é verdade ou não, mas sim a esperança que ela nos traz.

Boas Festas

Você também pode gostar de: