A habitação na muita idade: morando sozinho Parte IV – Os espaços onde a permanência é maior

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Continuação da postagem anterior
O dormitório, a cozinha, o “home office” e a sala são cômodos
particularmente importantes devido ao maior tempo de utilização.
Assim, esses espaços exigem cuidados especiais tais como:
amplitude maior, com controle de temperatura e umidade, luzes
apropriadas para leitura, inclusive noturna, e o dormitório estar
localizado perto do banheiro (o idoso urina muitas vezes à noite).
A cama, cadeiras e sofá devem ser um pouco mais altos que os
usuais para facilitar a mobilidade do idoso. Todos esses quatro
espaços devem ter condições para manter próximos, copos e água,
livros, celulares, remédios e recursos para a comunicação fácil
(fones, alertas, campainhas).
O banheiro deve ser suficientemente amplo para permitir banho
com apoio e uso de cadeiras de roda, ter apoios na parede, perto
de vasos, lavatórios e no chuveiro, possuir espelhos de aumento
para a maquiagem (existem modelos com uma haste extensora, eficaz)
e luzes noturnas bem situadas. Se for de uso pessoal precisa ter
acesso fácil, livre de qualquer obstáculo, inclusive porta. Outra
particularidade é possuir nichos para utensílios de banho de fácil
acesso e limpeza (ex.: saboneteira). O meu banheiro precisa de um
varão na área do chuveiro para colocar calcinhas, meias e máscaras
a secar porque gosto de lavá-las pessoalmente, durante o banho.
Para pessoas com dificuldades de mobilidade nas mãos e braços,
pode ser bem vinda uma papeleira (que solta papéis avulsos) ao
invés do rolo de papel higiênico que depende das duas mãos para
ser usado.
As normas governamentais aconselham a prever que a porta do
banheiro abra para fora porque se o usuário cai no interior do
banheiro e perto da porta pode impedir a entrada do socorrista.
A cozinha e a área de serviço são os cômodos que, mais

facilmente, oferecem riscos de infecções devido alimentos,
umidade, calor e outros fatores. Por esse motivo, além do espaço
necessário para se trabalhar com segurança e conforto (bengalas,
andadores e cadeiras), devem ter facilidades para higiene rigorosa
dos alimentos, das paredes, pisos, mobiliário e maquinário. As
tarefas domésticas podem ser muito atrativas para alguns idosos
porque evita o sedentarismo, fá-los sentirem-se úteis e
independentes. Muitas vezes suas habilidades podem atrair a
companhia de amigos e familiares. Assim, a existência de mesas e
cadeiras na cozinha pode ser desejável, bem como bancadas ou
balcões secundários para estar.

Continua na próxima postagem…

CO-AUTORIA – Arquiteta Cecilia Lourenço Góes, 36 anos, graduada
pela Universidade de São Paulo, com 13 anos de experiência na
área. Trabalha em projetos residenciais, institucionais e públicos
no escritório MGóes Arquitetura e Design, em São Paulo.

Você também pode gostar de: