Histórias de cockpit

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Neste ano o corredor inglês de Formula 1 Lewis Hamilton igualou o alemão Michael Schumacher em numero de títulos mundiais, ambos agora tem sete. O inglês já tinha ultrapassado seu concorrente em número de GP vencidos, 91 para Schumi, e 94 para Hamilton até agora. O Brasil, por sua vez, soma oito títulos mundiais no total, sendo três de Ayrton Senna, três de Nelson Piquet e dois de Emerson Fittipaldi.

Emerson, em 1972, com sua Lotus, foi o primeiro brasileiro e o mais jovem piloto a conquistar um título mundial de Fórmula 1, aos 25 anos (record superado anos depois pelo corredor espanhol Fernando Alonso em 2005). Quem acompanhou os GPs nesse ano viu Emerson derrotar o experiente corredor inglês Jackie Stewart que corria pela Tyrrell e se consagrar campeão mundial no ensolarado GP da Itália, décima etapa da temporada, realizado em Monza em 10 de setembro. Após 55 voltas, foi o quinto GP vencido por Emerson naquele ano, garantindo também o título do mundial de construtores à Lotus.

Em seu livro “Emerson Fittipaldi: Uma vida em alta velocidade” ele conta toda sua tragetória, desde as primeiras corridas de carrinho de rolimã até as conquistas na F1.
Em um dos capítulos ele conta a sua ida para a Inglaterra correr de Formula Ford, facilitada por seu amigo Jerry Cunningham, um corredor brasileriro cuja família viera das terras da rainha para São Paulo.
Emerson vendeu tudo o que tinha, terminou o namoro e, com apenas 19 anos, embarcou sozinho para Londres. Conseguiu um emprego na oficina de Dennis Rowland, em Wimbledom, que modificava os motores Ford para corridas. Assim ele podia trabalhar no seu próprio carro nas horas vagas.

Em sua primeira corrida, depois de uma viagem de cinco horas até Snetterton, seu carro não deu a partida e ele viu que o eixo da transmissão estava quebrado. Ele teve que trabalhar sozinho durante dois dias para consertar o carro. Logo de cara conseguiu o terceiro tempo mais rápido na classificação, largando então na segunda fila. Foi uma corrida curta, de uns 20 minutos, promovida por um clube. Quando faltavam três ou quarto voltas, Emerson emparelhou com o líder, ultrapassando-o na freada, quase tocando as rodas “Foi um ato perigoso, mas deu certo e assumi a liderança. Liderei até o fim do percurso e recebi a bandeirada da vitória. … Tinha sofrido durante semanas, trabalhando naquele frio terrível, sem a ajuda de ninguém. Mas quando vi a bandeira xadrez, tudo aquilo perdeu importância”, afirma Emerson em seu livro.

Após muitas vitórias na Fórmula Ford, ele estreou na Fórmula 3 britânica. Sagrou-se campeão da categoria aos 22 anos. Seu imenso talento foi notado por Colin Chapman, proprietário da equipe Lotus de Fórmula 1, que o contratou no ano seguinte para correr pela sua equipe.

Ao longo da carreira na Fórmula 1 foram 2 títulon mundiais (1972 e 1974), 149 Grandes Prêmios, 14 vitórias, 6 pole positions, 6 melhores voltas, com um total de 276 pontos.

Emerson Fittipaldi é o único brasileiro e um dos poucos pilotos da história da Fórmula 1 a vencer um grande prêmio em seu ano de estreia.
Também é o único brasileiro à fundar uma equipe de Fórmula 1, a Copersucar Fittipaldi, que correu entre os anos de 1975 e 1982.

Você também pode gostar de: