O ROSTO DE JANE AUSTEN

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Como seria o rosto de Jane Austen, escritora inglesa tão respeitada e admirada quanto Shakespeare, nas terras da rainha?

Ao que se sabe, a única imagem sua conhecida é de um esboço desenhado por sua irmã Cassandra.

O retrato que precede este artigo foi adaptado, modificado e colorido a partir da ilustração da irmã de Jane, incluindo uma inexistente aliança em seu dedo esquerdo.

Recentemente surgiu um suposto retrato de Jane aos 14 anos, de cabelos curtos, mas sua autenticidade ainda não foi comprovada. Contudo, não é esse exatamente o rosto que procuro.

Pouco sabemos da vida pessoal da escritora, uma das informações de sua biografia é que nunca se casou. Porém o que me interessa são seus traços, suas feições, suas nuances de escritora. Tentemos descobrir através de algumas de suas frases:

“Sou metade agonia, metade esperança”

“Muitas vezes perdemos a possibilidade de felicidade de tanto nos prepararmos para recebê-la. Por que então não agarrá-las todas de uma vez?”

“Metade do mundo não consegue entender os prazeres da outra metade.”

Através destas frases podemos vislumbrar um pouco de sua personalidade: ironia, ideias avançadas para seu tempo, feminismo…

Haverá algo mais! Sem dúvida a melhor maneira de penetrar no universo interior de Jane Austen seja lendo seus livros. Eles foram considerados por leitores pouco sensíveis ou distraídos, como romances frugais, açucarados, fúteis…

Em uma leitura mais atenta, no entanto, enxergamos nesses magníficos romances, muita ironia, humor, sarcasmo, habilidade de introduzir, através das entrelinhas, temas sensíveis à época, como: escravidão, feminismo, hipocrisia das classes mais abastadas, preconceitos, política e religião. Estes temas eram abordados em seus livros, sem que os seus próprios editores se dessem conta, tal sua sutileza e habilidade com as palavras.

Estamos falando do início do século XIX, em que mulheres frequentemente usavam pseudônimos ou nomes masculinos para conseguirem publicar seus livros, o que também aconteceu com Jane.

Quem sabe conheceremos melhor seu rosto através do único romance escrito por ela em que a protagonista é o título da Obra: “Emma”. Jamais saberemos, mas podemos especular: seria ela a sua personagem favorita? Seria seu halter ego?

O fato é que sabemos muito pouco da mulher Jane Austen, a não ser o que depreendemos ao ler seus livros. Ou seja, a autora se mostra através de suas personagens femininas. Fala, ironiza, vive e ensina. E talvez esse seja seu real encanto, sua beleza!

Teria a escritora tão discreta em revelar seu rosto, sua aparência física, em deixar registros sobre ela própria, deixado escapar em seus livros pistas, sinais sobre si mesma?

Seria ela vivaz, inteligente, com um ímpeto casamenteiro e bondoso como Emma?

Seria ela a independente Elizabeth de “Orgulho e Preconceito”, que afirmava que só se casaria por amor?

Qual delas: a racional Elinor ou a sensível Marianne de “Razão e sensibilidade”?

Poderiam ser todas as outras protagonistas de seus livros juntas?

O fato é que se o seu rosto poucos conhecem, porém seu legado será eterno!

Você também pode gostar de: