Plant based food: são sempre saudáveis? São recomendáveis para pessoas de terceira idade?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

         O termo “plant based food” ainda não é totalmente difundido no Brasil e pode existir confusão entre o estilo de dieta e o consumo de produtos prontos à base de vegetais. A dieta plant based, ou à base de plantas, é uma alimentação super saudável e com uma ligação mais direta coma a natureza. Por ser à base de vegetais há um consumo maior de verduras, legumes, hortaliças, frutas e grãos e cereais integrais, farinhas, sementes, oleaginosas e bebidas vegetais. É uma dieta rica em fibras e antioxidantes. Para manter uma alimentação plant based alguns pontos-chave são importantes: organização e planejamento para preparar suas refeições e também cuidados para manter a qualidade dos alimentos. Por exemplo: quando for às compras, mescle produtos in natura e produtos já pré-preparados assim você evita o desperdício; para melhor conservar, higienize bem os folhosos e coloque na geladeira.  Algumas frutas duram mais em temperatura ambiente como maçã, pêra, melão, banana. Os grãos e cereais duram mais quando deixados em potes hermeticamente fechados, dentro da despensa. Vale a pena fazer um caderno de receitas e variar as preparações para obter a maior variedade de vitaminas, minerais e compostos bioativos.

         Os produtos prontos à base de vegetais, também chamados plant based por falta de uma tradução melhor em português são os produtos industrializados, portanto são ultraprocessados, que são feitos com soja, ervilha, grão de bico, cenoura, beterraba e demais vegetais e que para manter suas características organolépticas (cor, sabor, textura, odor e tempo de prateleira) tem sódio, açúcar, gorduras, aditivos químicos e sintetizados acrescidos à sua composição. A idéia desses produtos é substituir as carnes em geral, visando sim uma relação mais consciente entre alimentação, consumo e saúde do planeta. Porém, por mais saudáveis que pareçam, não deixam de ser industrializados, ou seja, estão associados ao aumento no risco de desenvolvimento de doenças crônicas, velhas conhecidas, como obesidade, diabetes, hipertensão, câncer, doenças cardíacas e outras mais. 

         De fato existem razões para diminuir o consumo de carnes em geral, reduzindo assim o impacto ambiental que as criações geram e também diminuindo o sofrimento dos animais. Mas calma! Se você quer ajudar o planeta, reduzir o impacto da produção de produtos de origem animal no meio ambiente, diminuir o consumo de água e ainda assim não quer abrir mão do churrasco, do rodízio de comida japonesa ou até mesmo do hambúrguer e da pizza de calabresa… ainda há uma opção!

         Você já ouviu falar do movimento da Segunda sem Carne? A segunda-feira é mundialmente conhecida como o dia de iniciar sua transformação iniciar sua mudança de hábitos, de tomar decisões. Também é o dia oficial da Campanha Segunda sem Carne, um movimento que tem por objetivo conscientizar as pessoas sobre os impactos do consumo de alimentos de origem animal sobre a saúde humana, sobre os próprios animais e sobre o planeta como um todo. A proposta é substituir uma vez na semana a proteína de origem animal pela proteína de origem vegetal (feijões, grão de bico, lentilha, soja, ervilha, cogumelos). E para participar você não precisa comprar alimentos prontos de origem vegetal (ou plant based). A seguir duas sugestões para você iniciar a segunda-feira sem carne de forma saudável, equilibrada e sem ultraprocessados.

Receita de Salada de Quinoa:

Ingredientes:

4 colheres de sopa de quinoa em grãos cozida

1 cenoura média ralada

2 colheres de sopa de uva passa

1 colher de sopa de amendoim

1 colher de sobremesa de azeite ~

Cheiro verde a gosto

Modo de preparo: Misture os ingredientes e aproveite.

Receita de hambúrguer de grão de bico

Ingredientes:

2 xícaras de grão de bico cozido

1 cenoura ralada

½ cebola

4 colheres de sopa de aveia em flocos finos

Salsinha, sal e pimenta a gosto

Modo de preparo: Amasse bem o grão de bico ou bata em um liquidificador/processador até ficar uma pasta grossa. Refogue a cebola + cenoura + 2 colheres de aveia no azeite e depois misture com a pasta de grão de bico. Adicione mais duas colheres de aveia. Modele com as mãos em formato de hambúrguer e leve para a geladeira. Você pode assar (30 minutos ou até dourar) ou grelhar o seu hambúrguer!

Você também pode gostar de: