Aluguel e alimentação: pontos de preocupação para as pessoas de terceira idade.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Depois de mais de 6 meses de pandemia, está acontecendo no Brasil um fenômeno que ocorreu em outras partes do Mundo: alta do preço dos alimentos.

Adicionalmente, o IGP- M, índice de reajuste dos aluguéis, acumula alta de 20,52% no período de 12 meses, o que é infinitamente acima de qualquer reajuste dos benefícios previdenciários.

Infelizmente, é forçoso reconhecer, o Governo Federal não se preocupou em estudar e tomar providencias para melhorar o abastecimento familiar neste período.

Diversos países no Mundo passaram por esse aumento dos alimentos no fim do lockdown, por isso, era muito fácil prever que o Brasil também seria afetado.

Se fossemos um país onde as autoridades tivessem os olhos abertos para o Mundo, seria fácil antecipar o problema e a sua solução: Criar estoques públicos para regular a oferta e a demanda seriam uma ação simples e eficaz para garantir o abastecimento.

Adicionalmente, nos tempos de crise para o produtor, poderia ter sido garantido a ele um preço mínimo para compra de sua produção e estocagem, eliminando, assim, a necessidade de o agricultor recuperar o seu prejuízo aumentando o preço para o consumidor no momento de retomada da demanda.

A falta de planejamento, neste e em outros setores da economia, está prejudicando não apenas os cidadãos seniors, mas toda a população brasileira.

O elevadíssimo aumento do IGP-M é uma consequência deste e de outros aumentos verificados nos últimos meses.

Tremenda incoerência: O Brasil é considerado o celeiro alimentar do Mundo e sua população, lamentavelmente com enorme número de pobres, paga caro pela alimentação.

Ou, pior do que isso, tendo que depender da caridade pública.

Você também pode gostar de: