O tempo e a prudencia

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Exibido na Galeria Nacional de Londres, Alegoria da Prudência, é um quadro enigmático do século XVI pintado por Ticiano (Tiziano Vecellio), um pintor veneziano. Enigmático porque, até hoje, não há consenso entre os especialistas quanto o real significado das três cabeças humanas representadas sobre três cabeças de animais: um lobo, um leão e um cão e com inscrições em latim na parte superior que, em tradução livre, significam “de experiências passadas, agir com prudência no presente, para não estragar o futuro”.

Já no estágio adulto-maduro, essa imagem me fez lembrar de algumas conversas que tive durante minha vida profissional com profissionais de RH e Headhunters. Um dos clichês que eles geralmente perguntavam a jovens profissionais era: onde você quer estar daqui a “x” anos? Cada vez mais, esse período dado era encurtado, como se a vida fosse um caminho linear.

Infelizmente, tenho visto alguns bons profissionais que, pressionados pela necessidade de um rápido crescimento profissional, tomam decisões erradas, agindo sem critérios na busca de um planejamento de carreira perfeito.

As decisões que tomamos elas não são compartimentadas ou blindadas, sempre afetam a nossa vida como um todo, profissional, social e familiar. Eu entendo que, ao invés de ONDE chegar, seria melhor refletir no COMO caminhar. Assim, gerenciar em vez de planejar uma carreira, a nossa vida familiar e sobretudo a aposentadoria pode ser mais importante e valiosa, já que não podemos controlar todas as variáveis, especialmente em mudanças tão drásticas como as que estamos experimentando tanto no ambiente econômico, político e social.

A visão de longo prazo torna-se cada vez mais necessária em um tempo em que a expectativa de vida aumenta e teremos que trabalhar muito mais anos do que os nossos antecessores. A experiência daquilo que já realizamos com sucesso e sobretudo os nossos fracassos servirão de bússola nesta difícil, mas prazerosa aventura que é a vida.

Listo abaixo algumas prioridades que, no meu entendimento, deveríamos estabelecer para nossas vidas, independentemente da idade, do momento e das circunstâncias atuais: a. Manter uma vida de hábitos saudáveis b. Buscar o aprendizado contínuo c. Estabelecer uma agenda social e cultural, não negligenciar os amigos d. Separar tempo para o lazer e esporte e. Sempre manter projetos para o futuro f. Estar aberto para o novo

A lista acima não tem nenhuma ordem de prioridade; trata apenas daquilo que julgo importante e seguramente ela deve estar incompleta. Algumas pessoas, por exemplo, dedicam uma parte importante de suas vidas em projetos sociais e de voluntariado.

Além de estar saudável, quero agir sempre com prudência, assumindo todos os riscos necessários, mas usando da experiência e do que aprendi com as pessoas admiráveis com as quais convivi.

Hilton Casas de Almeida

Membro do Conselho de Sócios na Cinquenta Mais Saude Químico

Você também pode gostar de: