Bossa Nova e Jovem Guarda

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

No final dos anos 50 e início dos anos 60, o Brasil foi sacudido por dois movimentos musicais que iriam transformar o cenário cultural brasileiro: a bossa nova e a jovem guarda.

Iniciada por jovens intelectuais e boêmios da Zona Sul carioca e criticada inicialmente por sua batida sincopada do violão e o canto contido do qual João Gilberto e Silvinha Telles eram sua melhor expressão, a Bossa Nova não só conquistou todo o país como se tornou sucesso internacional com um concerto realizado em 1962 no prestigioso Carnegie Hall em New York e se consolidou quando, em 1967, em  Frank Sinatra gravou um LP (long play, para os jovens que nunca ouviram falar) com Tom Jobim.

O nome Bossa \Nova é atribuído ao jornalista Moyses Fuks.

A Jovem Guarda, cujas origens remontam ao rock and roll e ao soul, surgiu como um movimento musical de adolescentes com musicas amorosas e açucaradas, muitas vezes mera versões de musicas americanas, principalmente. Apesar das criticas de que eram musicas alienadas da realidade cultural brasileiro, o movimento se consolidou quando a TV Record de São Paulo lançou um programa dominical com esse nome comandado por Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderlea e se transformou em um fenômeno que atrai milhões de jovens em todo o Brasil com o surgimento de muitas bandas e uma legião de jovens cantores.

O nome Jovem Guarda é atribuído ao compositor Carlos Imperial.

Você também pode gostar de: