Alimentação x Coronavírus

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

A Revista JAMA em fevereiro desse ano publicou um estudo científico de Wu e McGoogan mostrando que o corona vírus apresenta uma taxa de letalidade de 2,3% sendo 14,8% em pessoas acima dos 80 anos, 8% acima de 70 anos e 49% de casos que evoluíram para a forma crítica da doença. Vale ressaltar que os riscos foram maiores em pessoas com doenças pré-existentes como hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares, doença respiratória crônica, câncer e obesidade.

Não é novidade que até o momento ainda não temos tratamento ou vacina para a COVID-19, e muito se ouve falar sobre imunidade e diminuição dos riscos de contrair doenças em geral. Para ajudar a esclarecer, imunidade é um conjunto de os mecanismos utilizados pelo organismo como resposta contra substâncias estranhas presentes no corpo. A resposta de cada pessoa ao vírus depende do seu sistema imune. Um sistema imunológico enfraquecido, como no caso de pessoas com mais idade ou pessoas com doenças pré-existentes, poderia permitir uma progressão mais rápida da infecção viral.  Uma nutrição não adequada também contribui para uma disfunção imunológica e consequentemente o organismo fica mais suscetível a infecções.

A boa notícia é que, por meio da alimentação saudável e equilibrada, obtemos a quantidade de macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídios), micronutrientes (vitaminas e minerais) e compostos bioativos (como por exemplo polifenóis, carotenóides e glicosinolatos) necessários para o dia-a-dia e, em conjunto, são essenciais para o bom funcionamento do organismo.

Vale lembrar que um alimento ou vitamina de forma isolada não é capaz de melhorar sozinho nossa imunidade. Precisamos do combo: alimentação saudável + hábitos saudáveis.

Os benefícios à saúde do consumo de frutas, hortaliças, cereais, legumes e grãos integrais têm sido atribuídos ao fato desses alimentos estarem associados ao menor risco de desenvolver doenças crônicas e a menores taxas de mortalidade em geral.

Alguns alimentos que você pode incluir facilmente nas suas preparações são peixes e ovos (ricos em vitamina D); castanhas, avelã e abacate (fontes de vitamina E); cenoura, manga, couve (ricos em vitamina A); limão, kiwi, brócolis, goiaba (aporte de vitamina C); sementes em geral (fontes de selênio e zinco); ervas e especiarias: gengibre, cúrcuma; alho, cebola.

Alimentos como doces, carboidratos refinados (farinha de trigo e açúcar), refrigerantes, frituras e salgadinhos são tentadores por serem saborosos mas devem ser consumidos em quantidades menores.

Não esqueça de beber água! Mucosas mais hidratadas nos protegem melhor de microorganismo invasores. Para ter uma idéia de quantos litros de água você precisa consumir em média diariamente existe uma conta: seu peso x 0,037ml.

Para completar: durma bem, pratique atividades físicas de forma segura, siga as recomendações de prevenção e proteção da Organização Mundial da Saúde (OMS) e procure técnicas de relaxamento visando reduzir o estresse.

Você também pode gostar de: